Escada de Acesso ao Poço

Home / Modernização / Adequação de Normas / Escada de Acesso ao Poço
Home / Modernização / Adequação de Normas / Escada de Acesso ao Poço

ABNT NBR 15597 Subseção 5.5.8

Acesso ao poço

O poço dever ter acesso e saída adequados e seguros de acordo com 5.7.2.2 da ABNT NBR NM 207:1999.

ABNT NBR NM 207:1999 5.7.2.2

5.7.2.2 Se existe uma porta de acesso ao poço, que não seja a porta de pavimento, ela deve atender as exigências de 5.2.2. Se a profundidade do poço exceder 2,5 m, tal porta deve ser instalada.

ABNT NBR NM 207:1999 5.2.2

5.2.2 Portas de inspeção e de emergência - Portinholas de inspeção

5.2.2.1 Portas de inspeção e emergência e portinholas de inspeção devem fechar toda a abertura.
5.2.2.1.1 As portas de inspeção devem possuir altura mínima de 1,40 m e largura mínima de 0,65 m.
As portas de emergência devem possuir altura mínima de 1,80 m e largura mínima de 0,35 m.
As portinholas de inspeção devem possuir altura máxima de 0,50 m e largura máxima de 0,50 m.
Portas de inspeção e emergência e portinholas de inspeção para a caixa não são permitidos exceto em concordância com a segurança dos usuários ou as exigências de manutenção.
5.2.2.1.2 Quando ocorrer um percurso muito grande na caixa sem porta de pavimento, deve ser provida a evacuação dos passageiros da cabina, situado a uma distância que não exceda 11 m, por meio de uma porta de emergência na caixa, ao nível do pavimento.
3) Instalações de elevadores com fechamento incompleto de sua caixa deve somente ocorrer depois de considerações plenas sobre o tipo de pessoas para as quais ele será acessível (isto é, crianças sozinhas, vândalos, turma da limpeza, etc) e o ambiente no qual ele irá operar.
Essa exigência não se aplicará nos casos de cabinas adjacentes, que permitam a evacuação de uma para outra através de uma porta de emergência lateral atendendo às exigências de 8.11.3.
5.2.2.2 Portas de inspeção e emergência e portinholas de inspeção não se devem abrir para o interior da caixa.
5.2.2.2.1 As portas e as portinholas devem ser providas de trava com chave permitindo o fechamento autônomo e fechar e travar sem o uso da chave.
O destravamento pelo lado do pavimento será apenas por chave diferente de qualquer outra existente no edifício e que deverá estar em poder de pessoa qualificada. Esta chave poderá ser a mesma que abre as portas de pavimento.
As portas de inspeção e emergência devem poder ser abertas a partir do interior da caixa sem chave mesmo estando travadas.

5.2.2.2.2 O funcionamento do elevador somente deve ser possível quando as portas previstas em 5.2.2.1.1estiverem fechadas e travadas. Este travamento deve ser assegurado por um dispositivo elétrico de segurança de acordo com 14.1.2.

O funcionamento do elevador com portinhola de inspeção aberta é permitida durante operação de inspeção, se tal operação requer a atuação contínua de dispositivo (acessível somente quando o portinhola de inspeção está aberta) que permita curto-circuitar o dispositivo elétrico de segurança que controla o fechamento da portinhola.

5.2.2.3 As portas de inspeção e de emergência e as portinholas de inspeção devem ser não perfuradas e satisfazer as mesmas condições de resistência mecânica que as portas de pavimento e atender os regulamentos relevantes de proteção ao fogo para o edifício onde estão instaladas.

ABNT NBR NM 207:1999 8.11.3

Podem ser usadas portas de emergência laterais no caso de cabinas adjacentes, entretanto, a distância entre as cabinas não deve exceder 0,75 m [ver especialmente (5.2.2.1.2)].
Se existem portas de emergência, elas devem medir pelo menos 1,80 m de altura e 0,35 m de largura.

ABNT NBR NM 207:1999 5.2.2.1.2

5.2.2.1.2 Quando ocorrer um percurso muito grande na caixa sem porta de pavimento, deve ser provida a evacuação dos passageiros da cabina, situado a uma distância que não exceda 11 m, por meio de uma porta de emergência na caixa, ao nível do pavimento.

3) Instalações de elevadores com fechamento incompleto de sua caixa deve somente ocorrer depois de considerações plenas sobre o tipo de pessoas para as quais ele será acessível (isto é, crianças sozinhas, vândalos, turma da limpeza, etc) e o ambiente no qual ele irá operar.
Essa exigência não se aplicará nos casos de cabinas adjacentes, que permitam a evacuação de uma para outra através de uma porta de emergência lateral atendendo às exigências de 8.11.3.

ABNT NBR NM 207:1999 14.1.2

Dispositivos elétricos de segurança

14.1.2.1 Disposições gerais

14.1.2.1.1 Quando da atuação de um dos dispositivos de segurança listados no anexo A, o movimento da máquina deve ser impedido ou ela deve ser parada imediatamente como indicado em 14.1.2.4.

Os dispositivos elétricos de segurança devem consistir de:
a) um ou mais contatos de segurança atendendo 14.1.2.2 cortando diretamente a alimentação para os contactores referidos em 12.7 ou seus contactores de relés; ou
b) circuitos de segurança atendendo 14.1.2.3, consistindo de:
1. um ou mais contatos de segurança atendendo 14.1.2.2 não cortando diretamente a alimentação para os contactores referidos em 12.7 ou seus contactores auxiliares, ou
2. contatos não atendendo os requisitos de 14.1.2.2.
14.1.2.1.2 A menos das exceções permitidas nesta Norma, nenhum equipamento elétrico deve ser ligado em paralelo com um dispositivo elétrico de segurança.
NOTA - Ligações a diferentes pontos da corrente de segurança elétrica somente são permitidas para obter informação e os dispositivos usados com esse propósito devem atender os requisitos para circuitos de segurança conforme 14.1.2.3.
14.1.2.1.3 Os efeitos de indução ou capacidade próprias ou exteriores não devem causar a falha de dispositivos elétricos de segurança.
14.1.2.1.4 Um sinal de saída vindo de um dispositivo elétrico de segurança não deve ser alterado por um sinal parasita proveniente de outro dispositivo elétrico de segurança ligado no mesmo circuito, que possa resultar uma situação perigosa.
14.1.2.1.5 Em circuitos de segurança, contendo dois ou mais canais paralelos, toda informação, à exceção da necessária à verificação da paridade, deve ser conduzida somente por um único canal.
14.1.2.1.6 Circuitos que registram ou temporizam sinais não devem, mesmo em caso de falha, impedir ou atrasar sensivelmente a parada da máquina através da atuação de um dispositivo elétrico de segurança.
14.1.2.1.7 A construção e o arranjo de dispositivos internos de alimentação de energia devem ser tais que evitem o aparecimento de sinais falsos à saída de dispositivos elétricos de segurança devido ao efeito de comutação.
Em particular, picos de tensão resultantes da operação normal do elevador ou outro equipamento ligado à rede não deve criar distúrbios inadmissíveis nos componentes eletrônicos (imunidade a ruídos).

14.1.2.2 Contatos de segurança

14.1.2.2.1 A operação do contato de segurança deve ser por separação positiva dos dispositivos de corte do circuito. Esta separação deve ocorrer mesmo se os contatos estiverem colados entre si.
O projeto de um contato de segurança deve ser tal que minimize o risco de curto circuito resultante de uma falha de componente.

NOTA - A abertura positiva é obtida quando todos os elementos de corte são levados à sua posição de abertura e quando, para uma significativa parte do percurso, não há membros resilientes (por exemplo, molas) entre os contatos móveis e a parte do atuador onde a força de atuação é aplicada.
14.1.2.2.2 Os contatos de segurança devem ser providos para uma tensão nominal de isolação de 250 V, se o invólucros proporcionam um grau de proteção pelo menos IP 4X; ou 500 V, se o grau de proteção do invólucro é menor que IP 4X.
Os contatos de segurança devem pertencer às seguintes categorias definidas em a norma EN 60947-5-1:
a) AC-15, para contatos de segurança de circuitos de corrente alternada;
b) DC-13, para contatos de segurança de circuitos de corrente contínua.
14.1.2.2.3 Se o invólucro de proteção não é pelo menos do tipo IP 4X, as folgas devem ser de pelo menos 3 mm, as distâncias do salto de faísca pelo menos de 4 mm e as distâncias para corte dos contatos pelo menos 4 mm após a separação. Se a proteção for melhor que IP 4X, as distâncias do salto de faísca podem ser reduzidas para 3 mm.
14.1.2.2.4 No caso de cortes múltiplos, depois da separação, a distância entre os contatos deve ser pelo menos 2 mm.
14.1.2.2.5 A abrasão do material condutor não deve provocar curto-circuito dos contatos.

14.1.2.3 Circuitos de segurança
14.1.2.3.1 Os circuitos de segurança devem atender os requisitos de 14.1.1 relativos ao aparecimento de uma falha.
14.1.2.3.2 Além disso:
a) se uma falha combinada com uma segunda falha pode conduzir a uma situação perigosa, o elevador deve ser parado o mais tardar até a próxima seqüência da operação na qual o primeiro elemento defeituoso deveria participar.
Toda operação adicional do elevador deve ser impossível enquanto persistir o defeito;
A possibilidade de uma segunda falha ocorrer, após a primeira e antes que o elevador tenha sido parado pela seqüência mencionada, não é considerada.
b) se uma situação perigosa pode somente ocorrer através de diversas falhas combinadas, a parada do elevador e a sua permanência na posição parada deve ocorrer o mais tardar antes da ocorrência possível da falha que, em combinação com a falha já existente, possa conduzir a uma situação perigosa;
c) ao restabelecer a alimentação de força depois que ela tiver sido desligada, a permanência do elevador na posição parada não é necessária desde que durante a próxima seqüência uma parada seja imposta nos casos cobertos por a) e b) precedentes;
d) nos circuitos de redundância, devem ser tomadas medidas para limitar ao mínimo possível o risco de uma única causa provocar defeito simultaneamente nesses circuitos.
14.1.2.4 Operação dos dispositivos elétricos de segurança

Quando estiverem operando para garantir segurança, os dispositivos elétricos de segurança devem impedir a partida da máquina ou iniciar imediatamente a sua parada. A alimentação elétrica do freio deve ser igualmente cortada.
Os dispositivos elétricos de segurança devem agir diretamente no equipamento que controla a alimentação da máquina de acordo com os requisitos de 12.7.
Se, por causa da potência a ser transmitida, foram usados contactores de relé para controlar a máquina, estes devem ser considerados como equipamento que controlam diretamente a alimentação da máquina, para partida e parada.
14.1.2.5 Controle dos dispositivos elétricos de segurança.

Orçamento

Veja Outros Modelos